Deputado critica decisão do TRE-ES que cassou prefeito de Conceição da Barra
terça-feira, 24 de setembro de 2019

Em coro aos movimentos populares que tomaram as ruas de Conceição da Barra na noite de segunda-feira (23), o deputado estadual e líder do governo na Assembleia, Enivaldo dos Anjos (PSD) criticou a postura do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES) em cassar o mandato do prefeito da cidade. “Chicão”, como é conhecido Francisco Benhard Vervloet (PSDB) é acusado junto ao seu vice, Jonias Dionísio Santos (PSB) por abuso político e econômico.

“Enquanto temos casos explícitos como o de São Mateus, onde a ministra Rosa Weber arrasta já por um ano a decisão de afastar um prefeito que vive se enriquecendo às custas de festas que ele promove com seus próprios trios elétricos na cidade, o caso do prefeito de Conceição da Barra assusta pela sua celeridade deixando claro que não existem apenas motivos jurídicos para que tenha sido tomada a decisão de afastamento”, comparou Enivaldo, que foi seguido de outros deputados ligados à região.

Diante da decisão unânime proferida pelo TRE no fim da última semana, o prefeito Chicão viajou à capital Vitória na tentativa de reverter a situação ou buscar recursos que o mantenham no cargo. Caso seja confirmado o afastamento da chapa vencedora das eleições de 2016, assumirá o cargo executivo Walyson José dos Santos Vasconcelos (PP), o “Mateusinho”, filho do ex-prefeito de Pedro Canário e Conceição da Barra, Mateus Vasconcelos. Condenado e preso por crimes tributários em 2014 e 2017 Mateus Vasconcelos tenta agora lançar seu filho à prefeitura da cidade em 2020 e já articula caminhadas em favor da sua candidatura, aproveitando a má fase do atual prefeito.

De volta ao discurso de Enivaldo no plenário da Assembleia, o caso rendeu críticas também ao judiciário e ao que o deputado chamou de intervencionismo político, citando diferentes casos de juristas que tomam decisões com base em disputas de poder em suas cidades. “Todo mundo quer se meter em política mas ninguém quer disputar voto. É muito fácil sentar na cadeira de desembargador e ficar intervindo”, disparou Enivaldo que continuou: “Isso é interferência e nós sabemos que tem promotor que denuncia pessoas politicamente pelo prazer de dizer que tem autoridade. 90% dessas denúncias são feitas com base eleitoral e não com base jurídica”, concluiu Enivaldo.

A cassação do prefeito ocorreu por meio de uma denúncia sobre abuso de poder econômico, referente a um programa lançado pela prefeitura quando ele ocupava o cargo de secretário de Assistência Social, em 2016. Ele disputou o cargo apoiado pelo ex-prefeito já falecido, Jorge Donati. Na noite da última segunda-feira, empresários, moradores e representantes de movimentos comunitários se reuniram em frente à Igreja Matriz de Conceição da Barra e caminharam até a residência de Chicão, em apoio à manutenção de seu mandato.

 

Compartilhe: